Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Renascentia

escrito por marlene cerm, em 26.01.12

"Não sei quantas almas tenho." Desde já digo, que é um enorme obséquio cada um dos comentários que recebi em todos os blogs, a perguntar como estou. Sobrevivo, é só isso que por agora afirmo. Como já deu para notar, houve drásticas alterações por aqui, tanto no visual como no conteúdo do blog. Em vez de fugir como sempre faço quando tudo piora, decidi, pura e simplesmente, mudar os ares, bem como as personagens integrantes que estão, presumo, mais confusas que a própria autora. Uma vez que tem vindo a aparecer, para minha enorme surpresa, pessoas novas, às quais teço agradecimentos, decidi apresentar-me, explicar quem sou, apresentar quem aqui menciono. Assim sendo, postarei textos biográfios, meus e das personagens que cá uso - canti, eva, rennée -, bem como as pessoas que cá menciono. 

 

Desculpem, eu já avisei que sou chata. 

 

"Tens, sinceramente, que parar de parar de responder."

 

Com saudades,

Mar.

Autoria e outros dados (tags, etc)



8 comentários

De Senshilie a 11.12.2011 às 21:33

acho que fizeste muito bem em mudar o estaminé em vez de fugires!
chamam-te mar?

De loucuras de uma mente sã a 11.12.2011 às 22:23

para começar, tenho de te dar os parabéns pela tua escrita. Fazes um belo uso das palavras, cativas-me e fazes com que queira saber mais e mais e quem sabe mais um pouco. Extremamente elegante e inteligente. Não posso deixar de fazer uma ligeira comparação entre aquilo que fazes com o que fez Fernando Pessoa e tenho de salientar o seu caráter carismático. minha cara, serás tu um gênio perdido entre as linhas que escreves? é uma honra conhecer-te a ti e a todos e todas que por ti passam. Todos nós sem excepção somos seres com múltiplas almas, somos diferentes do que fomos ontem e seremos diferentes daquilo em que o amanha os tornar. o que difere entre uns e outros é a sensibilidade e o tato para reparar nos pequenos grandes pormenores. e passar para a escrita todas as vozes que ecoam na nossa cabeça não é fácil e exige de nós total consciência, total estado de alerta que quase se torna assustador aos nossos olhos. Belo, aos olhos de quem lê. Mas, quem lê não sente o que sentiu quem escreveu não é mesmo?

Desejo-te a continuação de uma boa noite,

os melhores cumprimentos

De dolcescrittora a 11.12.2011 às 22:27

eu gosto dos textos típicos, mas gosto especialmente da forma como escreves, da maneira ornamentada que dás aos teus textos, e mesmo assim não deixam de ser simples.
Enfrentar-nos acaba por nos deixar respirar melhor. e eu gosto deste visual.

De loucuras de uma mente sã a 11.12.2011 às 22:42

Eu é que agradeço.

De AMORXU a 11.12.2011 às 22:56

pois é.
sabe muito bem , e pena maior parte das pessoas que conhecemos para alem de nao saberem o qe se passa , deitam-nos abaixo

De horror cat a 11.12.2011 às 23:06

infelizmente

De Katherine J. a 11.12.2011 às 23:41

perfeito! gostei mesmo muito :)

De ana gonçalves a 12.12.2011 às 08:54

Pois. É o meu primeiro natal no chá da tarde. Mas já deve ser o meu terceiro na blogosfera.

comentar post



avisos

todos os direitos reservados © marlene cerm & identificados.
o conteúdo é verídico, caso contrário será indicado com a palavra fictício.

curiosidades

  •